Pular para o conteúdo principal

21 semanas: terminamos o quinto mês


Chegamos ao final do quinto mês e estou começando a me sentir mais barriguda. E devo estar mesmo. Algumas coisas que antes eu fazia com a maior destreza, já estão começando a ficar bem mais difíceis de executar. No banho, eu quase não consigo enxergar mais meus pés. Uma simples depilação se tornou uma força-tarefa, e calçar as próprias meias nunca foi tão desafiador. Acho que nem preciso citar aqui a missão que tem sido amarrar os cadarços do tênis, não é? Imaginem todo o meu contorcionismo! 

Joaquim tem me esticado toda. Meu umbigo parece que está ficando menor, e minha bunda parece um grande pandeiro. Em breve estarei andando como uma patinha pelos corredores do jornal, haha. Meus seios estão maiores, mas não tanto quanto eu ainda espero que fiquem. Já falei aqui que sempre quis ter peitos (proporcionalmente) grandes? ~Sonho de adolescente~ Quem sabe o bebê não me traga isso? Haha.

Por falar nele, Joaquim tem se mexido com bem mais frequência. E em horários bem doidos, tipo no fim do expediente, ou no meio da madrugada. Será um sinal de que alguém me acordará por essas horas, daqui a poucos meses? Disso não sei ainda, mas cada mexidinha é divertida e senti-lo tem se tornado bem natural pra mim.

Nesta semana, o bebê já pesa aproximadamente 360 gramas - bem mais do que peço de mussarela na padaria. Segundo o aplicativo em que acompanhamos o desenvolvimento do bebê (Baby Center Brasil), ele deve estar medindo cerca de 27 centímetros da cabeça até o calcanhar: do tamanho de um pepino caipira, uma cenoura grande, ou quase do tamanho de uma régua escolar. Ele já tem sobrancelhas, pálpebras e até unhas. Ele também já consegue ouvir minha voz, e por isso o papai também escolheu uma musiquinha pra ele ouvir com a gente no caminho de volta pra casa. A escolha foi por Edguy, uma banda alemã de metal que nós dois gostamos. (Que eu conheci através dele). A música dessa semana foi Vain Glory Opera, que tem umas guitarras bem legais. <3

No próximo diário, conto tudo sobre nossa tripla ultrassom, uhu!
Beijos nossos

Comentários

  1. Agora já dá pra curtir mais né, Rê? As mexidinhas, as transformações... Ai que delícia!

    Beijo em vocês :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô tia Magda. Obrigada por estar sempre presente!! Isso é amor. <3

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

20 semanas: chegamos na metade

Finalmente chegamos na metade da gestação. E quando penso nisso, vejo um reloginho me lembrando que logo logo seremos três em casa. Que logo logo, fraldas, lencinhos e chupetas vão se tornar acessórios obrigatórios na minha bolsa. Que logo logo, o cantinho que eu havia programado para ser meu escritório vai dar lugar a um lindo quarto de bebê. Que daqui a algum tempo, eu vou tropeçar em brinquedos. Que haverá mais um homem em casa. 
Tudo parece assustador e delicioso ao mesmo tempo. Tenho vontade de chorar e de rir. E em algumas ocasiões, não sei como diferenciar uma coisa de outra.
Esta semana eu passei dos limites nas comilanças. Comecei esticando de um chá de fraldas (de um amiguinho do Joaquim) para um aniversário. Nunca comi tanta bobagem e tomei tanto refrigerante de uma vez na vida. E na volta pra casa, a cada semáforo fechado, minha consciência ficava tão pesada quanto a minha barriga. #envergonhada
Minha mãe começou a fazer cueirinhos, toalhinhas de fralda e paninhos de chup…

O dia em que eu descobri o que houve com a gente

19 de março de 2018, o dia em que eu descobri o que houve com a gente.

Sou uma menina relativamente jovem, 25 anos mais pra lá do que pra cá. Digo relativamente, porque juventude é algo relativo (e não necessariamente tem a ver com a idade, aliás). Mas para o assunto que me permito escrever hoje, idade tem tudo a ver. É biológico para mulheres que pensam em ter filhos olhar sua própria idade de forma diferente. Eu nunca planejei filhos, na verdade. Quem me conhece sabe que nunca levei esse assunto assim a sério, como algo que eu precisasse pensar e planejar ou que fosse uma grande vontade. Nunca tive. Até acontecer.
É uma sensação parecida com estar apaixonado. Você não sabe que pode viver algo muito bom (vamos pensar no lado bom, apenas), até se apaixonar. A mesma descoberta eu tive quando descobri que estava grávida em dezembro de 2015. Não foi algo planejado. Aliás, conheço pouca gente que teve a sorte de planejar e ter o destino assim aos seus pés atendendo a esse "cronogra…

CK IN2U for Her: Básico, mas instigante

O CK IN2U for Her é amor à primeira vista, mas se for Eau de Toilett será um amor fugidio, com pouca fixação. Já o Eau de Parfum gruda nas roupas e na memória olfativa, prolongando uma sensação que é o maior diferencial deste perfume oriental floral: deixar a mulher cheirosa toda hora. Embora muita gente sinta cítrico, limão, baunilha, minha primeira impressão era de estar diante de patchouli, mas a nota é particular apenas ao perfume masculino.  De modo geral, ele pode ser classificado como um básico com personalidade e irradia alto astral, daqueles que cheiram a riqueza despojada, aquele tipo que não ostenta porque se define por ser e por si. Versátil, ele apresenta notas de fundo rico de baunilha e âmbar que associadas às notas de cabeça cítricas de toranja rosa efervescente, bergamota e folhas de groselha e as de coração, que são orquídea e cactus, proporcionam uma sensação de frescor que dura todo o dia – dependendo da evolução na pele de cada pessoa. A fragrância foi lançada pela …