Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2016

Secar no varal

Tumblr
Sentada no sofá da sala, olho para a barra da cortina que ainda tem as marcas do último inverno. Choveu tanto aquela noite, que a água invadiu as brechas do vidro da varanda. Você está no quarto, provavelmente com raiva de mim. E motivos você tem. Eu te dei.
Hoje foi uma daquelas noites em que eu perdi a cabeça. Mais uma vez. Antes fosse só a gritaria. Minha, claro, mas há pedaços de você nas minhas mãos. Te deixei em carne viva. Marcas da minha euforia entre teus ombros e a altura do peito esquerdo. Perdi mais que a cabeça. Perdi a razão, e acho que um pouquinho do seu amor também.

Desencosto do sofá e levanto os olhos procurando por você. Pela fresta da porta, te vejo deitado em silêncio na nossa cama. Você encara o teto e as paredes brancas do quarto, como se quisesse achar o restinho do nosso amor. Aquele que a gente tem quando te acordo com um assopro no pescoço no domingo de manhã. Que atravessa a rua de mãos dadas pra chegar mais rápido à padaria.Ou aquele que aproveita …

A gente nunca ia dar certo

Pinterest/Stylabl


Seu despertador toca pela décima vez, mas eu te acordo com a ponta dos dedos - ainda enrolados nas meias cor de rosa que você me deu. Dormi de calcinha e camiseta esta noite. E você nem chegou a amassar o lençol que te dei. De peito e ombros nus, você finge que não me ouviu dizer que já são oito horas e vira o rosto para o outro lado da cama. Abro as cortinas pra te obrigar a levantar. Estamos atrasados para o dia que mal começou, e para a vida doida que a gente leva mesmo sem querer. E toda a culpa foi de uma noite divertida e quente, que relembro no banho enquanto você passa meu café.
- Coloco leite? - ouço sua voz abafada pelo som do ventilador. - E chocolate! - peço em um tom de voz maior, enquanto abro a embalagem de xampu.

A água quente escorrendo pelos olhos, embaça todo o vidro do banheiro. E quando me viro, lá está você. [Encostado na parede. Só de cuecas.] Me espiando no banho e tomando o meu café sem-a-menor-vergonha.

O pires em uma mão, uma xícara em outra…

Diário de Gravidez: 22 semanas

Começamos a semana com o que existe de mais legal na rotina de pré-natal: ultrassom. A famosa morfológica, que consegue prever possíveis atrasos no desenvolvimento do bebê. Passamos por ela tranquilos, tranquilos. Joaquim continua crescendo bonitinho, e está com 550 gramas, sentando e de bem com a vida aqui dentro. ♥

Fiz uma outra ultra (transvaginal) pra ver o colo do útero, e ele dilatou um pouquinho durante os ~exercícios~. Nossa obs disse que a "discreta dilatação" não é motivo para pânico, mas para prevenir que Joaquim venha antes da hora, me receitou um remedinho que devo tomar todos os dias até o final das 36 semanas. Junto com ele, vou tomar também um polivitamínico que ~toda gestante toma~ para reforçar os nutrientes, que às vezes a gente não coloca no prato.

Enfim, tomei a vacina contra Influenza. Ao contrário da DT, não me deixou com o braço duro de dor por três dias. Na verdade, não tive reação alguma. Deus é pai!

A nova mania de Joaquim
Mas vamos às novidades. J…

Todo mundo precisa de um acidente por dia

Photo Wzrd/Flickr


De todas as coisas que acontecem na vida da gente, algumas têm o gosto mais especial justamente por não estarem dentro dos planos. Já aconteceu com você? Um acidente? Algo inesperado no meio da semana - e às vezes da vida. Um convite irresistível pra jantar em plena segunda-feira. Uma mudança inesperada de cidade. Uma viagem. Agora. Sem reserva em hotel, sem nada separado nas malas. Só um sorriso no rosto, e o dinheiro da gasolina pra chegar ao destino final.
Acidentes.

Nunca fui fã deles. Sou o tipo ridículo que adora planejar quantas horas vai dormir por noite, e o que farei na próxima sexta-feira. Não gosto do supetão. Sou meio ruim de aceitar as coisas que acontecem agora, por acaso. Sem me avisar. Quem ama uma rotina sabe do que estou falando.
A verdade é que a gente se acostuma com o roteiro das coisas. E reclamamos demais.A previsão do tempo não é nada quando decidimos abrir o berreiro e sair gasguitando pro mundo o quanto estamos incomodados com as coisas do …

21 semanas: terminamos o quinto mês

Chegamos ao final do quinto mês e estou começando a me sentir mais barriguda. E devo estar mesmo. Algumas coisas que antes eu fazia com a maior destreza, já estão começando a ficar bem mais difíceis de executar. No banho, eu quase não consigo enxergar mais meus pés. Uma simples depilação se tornou uma força-tarefa, e calçar as próprias meias nunca foi tão desafiador. Acho que nem preciso citar aqui a missão que tem sido amarrar os cadarços do tênis, não é? Imaginem todo o meu contorcionismo! 
Joaquim tem me esticado toda. Meu umbigo parece que está ficando menor, e minha bunda parece um grande pandeiro. Em breve estarei andando como uma patinha pelos corredores do jornal, haha. Meus seios estão maiores, mas não tanto quanto eu ainda espero que fiquem. Já falei aqui que sempre quis ter peitos (proporcionalmente) grandes? ~Sonho de adolescente~ Quem sabe o bebê não me traga isso? Haha.
Por falar nele, Joaquim tem se mexido com bem mais frequência. E em horários bem doidos, tipo no fim …

Não deixe completar um minuto

Foto: Bloglovin/Pinterest
Escrevo esta carta de punho e coração nu. Nos pés, uma meia de ursinho que eu nunca consegui desapegar, assim como essa saudade de você que sempre vem quando anoitece do outro lado da janela. Os pés estão quentes, mas o coração está descascado. E desde que você não me atende mais, uma xícara de café tem sido a minha única companhia. E desde que você se foi, eu nunca sei o que é o dia seguinte.

No meio desse frio, o único barulho da casa é o que sai do ventilador. Não me julgue. Eu precisava ouvir qualquer coisa, além do silêncio que invade toda a casa. Qualquer coisa além do eco que você deixou, quando bateu, em despedida, a porta da nossa sala.
Não sei porque escrevi, mas queria que você soubesse que eu menti quando disse que não me importava. Eu menti quando disse que a vida seria melhor sem você por perto. Se é, não quero nem saber. Ainda sinto saudade. Horas desmaiadas de saudade. Só o que tenho feito é pensar em como teria sido se eu tivesse descido as …

20 semanas: chegamos na metade

Finalmente chegamos na metade da gestação. E quando penso nisso, vejo um reloginho me lembrando que logo logo seremos três em casa. Que logo logo, fraldas, lencinhos e chupetas vão se tornar acessórios obrigatórios na minha bolsa. Que logo logo, o cantinho que eu havia programado para ser meu escritório vai dar lugar a um lindo quarto de bebê. Que daqui a algum tempo, eu vou tropeçar em brinquedos. Que haverá mais um homem em casa. 
Tudo parece assustador e delicioso ao mesmo tempo. Tenho vontade de chorar e de rir. E em algumas ocasiões, não sei como diferenciar uma coisa de outra.
Esta semana eu passei dos limites nas comilanças. Comecei esticando de um chá de fraldas (de um amiguinho do Joaquim) para um aniversário. Nunca comi tanta bobagem e tomei tanto refrigerante de uma vez na vida. E na volta pra casa, a cada semáforo fechado, minha consciência ficava tão pesada quanto a minha barriga. #envergonhada
Minha mãe começou a fazer cueirinhos, toalhinhas de fralda e paninhos de chup…

Entre cafés e rosquinhas

Foto: Pinterest

Sento e rabisco qualquer coisa, à espera do café que ferve. Você chega em casa trazendo rosquinhas para dividirmos, e me conta sobre o dia. Ganho um beijo na testa, enquanto você se enrola na toalha a caminho de um banho. É só uma segunda-feira quente e cansada como são todas as outras.

O café ferve. E eu fervo junto.

Você liga a TV e abre a varanda. Entra um vento delicioso na sala, e as cortinas fazem um barulho incomum. No jornal, alguém fala sobre qualquer desgraça que aconteceu em alguma esquina do Brasil. A TV não tem plateia esta noite. O cheiro de shampoo e sabonete invade toda a casa, e eu fico presa na cadeira onde estou.

Volto pro papel, mas já não sei mais em que parágrafo vazio estava. E ficamos nós dois, eu e um rascunho em branco, nos olhando - como dois idiotas costumam fazer quando não sabem o que dizer um ao outro. Eu e um número redondo de palavras que não saem. Eu e as coisas que eu queria dizer, e não sei como. É você dentro dessa casa. Minhas ideia…

19 semanas: A escolha do nome

Acho que essa foi a semana mais intensa de todas para nós três, e uma das mais dolorosas pra mim. Como nossa contagem inicia sempre às quintas-feiras, tivemos um feriadinho tranquilo, tranquilo para nos aproveitar. A maior parte do tempo que fiquei em casa, fiquei deitada na cama, com um super ventilador em cima de mim e jogando no celular. E adivinhem o que eu descobri? Meu bebê adora Candy Crush!♥ Senti ele mexer tão mais forte do que foram nas outras vezes, e em pelo menos três ocasiões diferentes eu estava deitada jogando Candy Crush com a musiquinha do jogo em volume alto. Virei aloca do Candy, Soda e Jelly agora, hahaha.
Tive alguns enjoos esporádicos essa semana também. Na sexta santa, eu era visita no almoço, e corri pro banheiro antes da terceira "garfada". Mas voltei lady e terminei o almoço feliz da vida. Minhas ocorrências são sempre assim: chegam sem avisar, e terminam assim que aciono a descarga. Menos mal! Mas nada, nada que se compare aos dramáticos enjoos d…