Pular para o conteúdo principal

As sensações apaixonantes de Valentina

Fotos: Reprodução/Internet

Se a primeira impressão é a que fica, com Valentina de Valentino, o que ficou foi a de um turbilhão que me fará usar dezenas de adjetivos – alguns antagônicos – para tentar descrevê-lo: delicado, porém marcante, sensual e romântico, jovem, mas maduro, alegre e também fechado, parece original, porém é familiar, um cheirinho de boas memórias que me remete a uma adolescente desabrochando, mas que poderia ser de uma mulher cheia de personalidade ou de uma elegante senhora.

Da nota de saída a de cabeça e coração, o cheiro é irresistível e a paixão imediata, talvez por me fazer lembrar de um aroma juvenil, um perfume que alguma amiga deva ter usado e que fez parte da minha pré-adolescência, talvez daqueles clássicos do Boticário, o Innamorata, quem sabe... É como se do túnel do tempo viesse um aroma gostoso e conhecido, só que mais bem elaborado.

Nas notas de saída fica nítido o atalcado que a mim, parece com o sabonete Sta. Terra de canela e cereja da Madressenza, um dos meus preferidos, e que justifica a classificação de floral oriental, na descrição oficial do perfume. Outra vaga lembrança vem da sofisticação do Nina, da Nina  Ricci – estão no mesmo nível de feminilidade e sofisticação.

O frasco de Valentina, perfume lançado em 2011 pela Maison italiana Valentino tem um design moderno, romântico e chique, exatamente como a fragrância e como a música Via com me de Paolo Conte, da campanha de lançamento da fragrância, não exatamente com o enredo do filme publicitário. O vidrinho tem três flores, emblemas da alta costura de Valentino, em tons pastéis e uma pérola negra.


No dia a dia, o perfume deve ser usado preferencialmente nos dias mais frios ou à noite e se encaixa como uma luva no Outono e no Inverno. Elegante sofisticado, Valentina tem boa fixação e projeção. Na hora de usá-lo, as condições climáticas e o ambiente devem graduar a intensidade das borrifadas; apesar da proposta jovial e refinada, ele é adocicado e demarca sua presença.

Entre suas notas estão bergamota, morango silvestre, trufas brancas, jasmim, cedro, limão, baunilha e âmbar, não necessariamente nessa ordem, mas que com olfato cuidadoso dá para sentir todas, inicialmente misturadas num buquê, depois uma a uma quais as notas de uma canção. Valentina é uma delícia!


Comentários

  1. Depois dessa descrição tão doce e perfeita sobre esse perfume, já fiquei louca de querer senti-lo na pele.

    *-*

    ResponderExcluir
  2. Muito fofa a embalagem! Deve custar um rim, né? E deve ser muito cheiroso pela descrição!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…

Quando vai sobrar um pouquinho de você pra mim?

Hoje eu tive um daqueles típicos dias de cão. Se você nunca teve um, vou te explicar como funciona. Primeiramente você acorda, e pode deixar que o universo cuida do resto. A noite já foi mal dormida mesmo, então o que vem a seguir são só aperitivos. E vou te dizer mais uma coisa: dormir numa cama que você acha que nem é mais sua é a pior experiência que existe. Você acorda mais cansado do que quando foi dormir, é preciso pontuar. A companhia também conta muito. E o que aconteceu antes também. Desculpa o arrodeio todo, mas o dia de cão começa vinte e quatro horas antes, ou na noite anterior, bem antes de dormir.
Começa comigo, acordando cedo em pleno feriado para cobrir um plantão policial daqueles. (rebeliões. meninos tocando fogo em colchão, tentando matar o colega da cela vizinha, e eu imaginando como o mundo pode ser assim. daí tem explosão a banco, arrombamento de cofre, perseguição pelo meio do mato e tudo que um repórter de cidades tem direito). O plantão acaba, e quero aprovei…