Pular para o conteúdo principal

Floral para todas


Ainda é primavera e o perfume que usei esta semana fez questão de me lembrar disso:  Roses de Chloé, um banho de rosas suaves expulsou os resquícios de inverno que havia em mim. O floral é composto por bergamota, estragão, lichia e limão nas notas de cabeça, rosa damascena, magnólia, cedro, maçã e cassis nas notas de coração e almíscar e âmbar nas notas de fundo. Na minha pele senti de imediato a bergamota e o almíscar branco. Só depois de uma meia hora de aplicação exalou o cheio de rosa damascena e magnólia. 
Minha primeira impressão foi de que se tratava de uma fragrância elegante, mas fraquinha; desses que passam despercebidas,  a não ser que você tomasse um banho de perfume.  Mas que bom que a primeira impressão não é a que fica. Seria triste constatar que um perfume tão sofisticado e caro frustraria as expectativas. Roses de Chloé é encontrado em frascos de 30ml, 50ml, 75ml e o menor não sai por menos de R$ 250.  
No final do dia senti o cheiro impregnado nas roupas que havia usado pela manhã e também em alguns ambientes de casa. Era o que eu precisava para repetir a dose. Da segunda vez em diante, as notas de coração predominaram e me rendi de vez ao cheiro. Apesar da predominância das rosas é ideal para quem nao e fã dos florais, mas não dispensa um frasco na coleção de perfumes. É uma fragrância elegante, fresca, moderna e estiloso que alcançou minha memória olfativa. Estou in love. 
Roses de Chloé foi lançado em 2012  pela marca francesa Chloé, uma das grifes favoritas do universo jovem na atualidade e que foi fundada em 1952 por Jacques Lenoir e Gaby Aghion, uma parisiense nascida no Egito, de beleza negra, estilo boêmio que queria lançar uma marca de luxo, mas que libertasse as mulheres dos rígidos padrões da moda da época. Na década de 80, a marca foi adquirida pelo grupo de luxo Richemont e sua notoriedade mundial aumentou ainda mais. 
Os anos 90 foram marcados pelo lançamento de vários perfumes como o Narcisse (1992) e o Innocence (1996). Atualmente, a Chloé comercializa moda prêt-à-porter, acessórios e perfumes e possui atualmente mais de 40 lojas próprias espalhadas pelas principais cidades do mundo. No passado, o rol das clientes mais famosas da marca era composto por Maria Callas e Grace Kelly, Jacqueline Kennedy e Brigitte Bardot. Atualmente, entre algumas entusiastas figuram Liv Tyler, Kirsten Dunst e Natalie Portman.
Beijos, Fernanda!

Fernanda Souza é jornalista e sempre quis ser. Gosta de blog, mas tem preguiça de fazer um. Aqui ela escreve resenhas adoráveis sobre os perfumes que experimenta e as sensações que eles trazem. ♥

perfumelandea@gmail.com

Comentários

  1. Obaaa, vou gostar de ler sobre os perfumes hehe adoooro!

    ResponderExcluir
  2. Como você é boa em descrever fragrâncias! Fiquei doida para sentir o cheirinho!

    Beijinhos

    www.burguesinhas.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu vejo flores em você.... HAHAHAHA adoro fragancia de flores.
    http://ladomilla.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não conhecia essa marca, sério! Eu particularmente gosto bastante de perfume de flores mas nem sempre uso, enjoo fácil de mais. Amei o jeito de descrever as sensações obtidas através do cheirinho do perfume <3

    Super beijo!
    www.lacerejinha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Nossa, fiquei muito curiosa pra conhecer o cheirinho, ainda não conhecia essa marca!
    Beijos, Dani Witt
    http://www.blogaquelas.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Que embalagem linda :) Dá um ar de decoração :)
    Adorei :)

    www.blogdahida.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…

Quando vai sobrar um pouquinho de você pra mim?

Hoje eu tive um daqueles típicos dias de cão. Se você nunca teve um, vou te explicar como funciona. Primeiramente você acorda, e pode deixar que o universo cuida do resto. A noite já foi mal dormida mesmo, então o que vem a seguir são só aperitivos. E vou te dizer mais uma coisa: dormir numa cama que você acha que nem é mais sua é a pior experiência que existe. Você acorda mais cansado do que quando foi dormir, é preciso pontuar. A companhia também conta muito. E o que aconteceu antes também. Desculpa o arrodeio todo, mas o dia de cão começa vinte e quatro horas antes, ou na noite anterior, bem antes de dormir.
Começa comigo, acordando cedo em pleno feriado para cobrir um plantão policial daqueles. (rebeliões. meninos tocando fogo em colchão, tentando matar o colega da cela vizinha, e eu imaginando como o mundo pode ser assim. daí tem explosão a banco, arrombamento de cofre, perseguição pelo meio do mato e tudo que um repórter de cidades tem direito). O plantão acaba, e quero aprovei…