Pular para o conteúdo principal

Restos


Tenho uma mania, que só descobri que era mania, depois que me casei. Nada como o casamento para dedurar nossos pequenos deslizes! Sempre deixo as sobras de qualquer que seja o prato. Um sanduíche, por menor que seja (e nunca é o bastante), sempre sobreviverá a fúria da fome de Renata. Um pedaço de pão com queijo que não servirá para mais nada na vida, ou uma fatia de pizza, que não fez mal nenhum a alguém, fatalmente acabará no lixo.

Mas isso só acontece em casa. Se levo porções de comida para o trabalho, não sobra nada. Como até os guardanapos, com o apetite de um pedreiro. (Com todo respeito a esses profissionais de bem).

Copos de sucos e outras bebidas também não escapam de virar restos. Pelo menos dois dedos dos líquidos sempre descem pelo ralo, sem ao menos um sugado meu. Comecei a notar essa característica (porque transtorno é uma palavra muito forte) há pouco tempo, depois de inúmeras reclamações do *marido*. Agora, é ele quem monta meu prato, mas não teve sucesso até agora.

Deixar restos.

É difícil me defender dessa mania de deixar. Tem gente que deixa muita coisa. E tem gente que guarda, especialmente restos. Restos de amores que não sobreviveram, de lembranças que atormentam ou de saudades engasgadas. Tem gente que não consegue deixar ir. Ou simplesmente não quer. Ver embora. Deixar ir. Um emprego, uma pessoa, uma MANIA (não é Renata?).

Não é fácil soltar a mão de uma rotina, ou de uma sacanagem que fizeram com a gente. Rancor é, de longe, um dos mais fáceis de guardar. Eu sei. Antes da mania das sobras no prato, eu juntava. Qualquer coisa. Mas se o arroz que comemos já foi suficiente, trazer mais coisa pra dentro só faz a gente adoecer. Grande invenção da sociedade o saco do lixo. E sabe por quê?

A gente não precisa de restos.


Encontre o blog 

Comentários

  1. Sobre sua mania tenho ela, e meu esposo fica nervoso com isso também rs.
    Agora sobre o restos penso como você aquilo que sobra, que não cabe mais tem que ser jogado fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixamos nossos caras loucos né Camis? Haha

      Excluir
  2. Tenho essa mania com pão! É impressionante pode tá legal como for, seempre sobra um pedacinho ( meu namorado se reta, rsrsrsrrs) só que raramente as sobrinhas vão pro lixo ou meu namorado pega do meu prato e come ( sim, ele faz isso) ou eu dou pros dogs aqui de casa! rsrrsrsr
    Oh e esse negócio de guardar é importante estar alerta sempre mesmo, porque como vc espertamente disse "A gente não precisa de restos." !
    Um abraço, Renata!!
    http://decifrandopordeiselima.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKKKK se reta. KKKKKKKKKKK gostei. Imagino a cena, Deise.

      Excluir
    2. KKKKKKKKKKKKKKKKKK se reta. KKKKKKKKKKK gostei. Imagino a cena, Deise.

      Excluir
  3. Excelente texto!! Senti tanta afinidade que gostaria de tê-lo escrito <3 ! E olha só, tenho a mania de deixar um restinho de café, bebo muito café ao longo do dia mas sempre deixo dois dedinhos, meu marido implica também (óh maridos!) e fica falando que eu deixo 'café para o santo' kkkk. Parabéns pelo blog, comecei a acompanhá-lo no final de agosto ao ver a indicação em algum BlogDay.
    www.janainaboth.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que delícia, Jana. Então acho que nos parecemos, será? Obrigada por deixar esse comentário feliz por aqui. <3

      Excluir
  4. ''É difícil me defender dessa mania de deixar. Tem gente que deixa muita coisa. E tem gente que guarda, especialmente restos.'' Realmente a maioria das pessoas são assim, e eu me incluo nessa. O triste e deixarem restos de amores que sempre foram inteiros e cheios <3
    Beijinhoos :**
    http://queridaasmemorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com o tempo, a gente vai vendo que restos não servem pra nada Layla.

      Excluir
  5. Que cada vez mais deixemos os restos desnecessários procurarem seus lugares, bem longe. Que só fique o que for bom e o que faz bem.
    Linda reflexão, Rê. Cada coisinha da vida significa algo, mas precisamos estar atentas para perceber.

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho justo, Magdinha! Tudo em seus devidos lugares, inclusive o que não é mais da gente.

      Excluir
  6. Como sempre, Renatinha, seus textos nos ensinando uma coisa nova que estava bem debaixo dos nossos narizes à fazer.
    Amo a forma que você faz analogia entre as coisas para chegar em seu ponto principal no texto.
    Sonho com o dia que todas as pessoas conhecerão ao menos uma citação sua, porque você merece todo o reconhecimento.
    Amo muito seus textos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem palavras para esse carinho. Tô tão melosa de ler essa delícia aqui, Nay. Fiquei tão feliz e tão emocionada com teu recado, que só posso dizer: muito obrigada por você me descobrir, e ler algumas bobagens dessa anônima aqui! ♥

      Excluir
  7. É muiiiito difícil se livrar. Eu sou apegada com tudo, não importa o que seja, meu ex eu queria muito terminar, mas quando terminamos eu chorei e pensei NAO NAO, EU QUERO ELE, mas era medo. Medo de perder, de sair daquela rotina, moravamos juntos a dois anos. Agora estou MUITO MAIS FELIZ

    Beijos, Love is Colorful & Sorteio Lentes para Celular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Barbs. Não sabia! Às vezes a gente só precisa sair de lá né? Do medo... Continue feliz!

      Excluir
  8. Pra variar, excelente texto. Tente se livrar da mania de deixar comida, aqui na redação vc tem uma colaboradora...rs. Qto aos sentimentos negativos é melhor jogar no lixo com água e tudo...kkkk. Xêro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem deveria comentar né? Hahaha jogar no lixo. (Com água e tudo). E que ela não leia isso. Beijooooo

      Excluir
  9. Achei que só eu tinha mania de deixar restinho de comida no prato hahahaha pior que isso, sempre guardo restos de pessoas, lugares, coisas também :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guarde resto só de Nutella, Day. Isso sim vale à pena!

      Excluir
  10. Nossa, Renata, que texto excelente! Super bem escrito! Aliás, estou lendo loucamente todos os seus textos! <3

    E sobre essa mania: eu também tenho, com tudo. lol

    Beijinhos

    www.burguesinhas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comentário delícia, Carlinha! Logo você aqui ❤❤❤❤❤ Ai que lindo!

      Excluir
  11. Sendo mania ou não sou exatamente assim também, adorei o texto, e inclusive concordo a gente não precisa de restos, de nada, muito menos de pessoas!
    Beijão, www.desapegaadri.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…

Quando vai sobrar um pouquinho de você pra mim?

Hoje eu tive um daqueles típicos dias de cão. Se você nunca teve um, vou te explicar como funciona. Primeiramente você acorda, e pode deixar que o universo cuida do resto. A noite já foi mal dormida mesmo, então o que vem a seguir são só aperitivos. E vou te dizer mais uma coisa: dormir numa cama que você acha que nem é mais sua é a pior experiência que existe. Você acorda mais cansado do que quando foi dormir, é preciso pontuar. A companhia também conta muito. E o que aconteceu antes também. Desculpa o arrodeio todo, mas o dia de cão começa vinte e quatro horas antes, ou na noite anterior, bem antes de dormir.
Começa comigo, acordando cedo em pleno feriado para cobrir um plantão policial daqueles. (rebeliões. meninos tocando fogo em colchão, tentando matar o colega da cela vizinha, e eu imaginando como o mundo pode ser assim. daí tem explosão a banco, arrombamento de cofre, perseguição pelo meio do mato e tudo que um repórter de cidades tem direito). O plantão acaba, e quero aprovei…