Pular para o conteúdo principal

Hoje te quero sóbrio

Passo demoradamente este batom, pra te fazer esperar um pouco mais. Um vermelho rubi woo tão intenso, quanto esta noite deve ser. Fazem pelo menos muitos anos que não te vejo depois do nosso adeus. Recebi teu convite há algumas semanas, e já ensaio mentalmente os olhares que roubarei de você.

Desço as escadas em passos lentos, pra te matar no desespero. E me divirto com o que consigo executar tão bem: teu rosto percorrendo cada detalhe do meu vestido preto. E dois lindos olhos verdes, passeando por mim. De cima à baixo. Sem nenhum pudor. E pouco disfarça.

A gente se olha bem de perto, e penso: Puta merda! Fim da linha pra mim.

Espalho meu perfume durante nosso abraço, e sinto sua barba arranhar meu pescoço. Algo está errado, bateu um descompasso aqui também. Me solto do seu fraque, e você me acompanha respeitando cada curva imprópria que meu metro e sessenta, com salto, tem.

- Enfim, você.
- Demorei? - pergunto com deboche.
- Valeu cada segundo.

Mostro um sorriso no canto dos lábios, e você retribui me cedendo a passagem. Rebolo com uma sutileza que deixa em dúvida as minhas intenções. Gosto de como você fica desconsertado perto de mim. A tortura faz parte da diversão, mas em pequenas doses. Se eu continuar com essa maestria, a noite será inesquecível - pelo menos pra você.

Te vejo abrir a porta do carro pra mim, com um cavalheirismo que nem suspeitei que tivesse. Sem cinto de segurança, conserto meu decote diante do espelho, e acompanho o sufoco que é a tua reação. Está quase tudo nos conformes.

- Você está tão irresistível, que nem sei se consigo te levar ao nosso destino. - você diz, percorrendo a mão sobre a fenda que exibo, quieta, do banco do passageiro.

Largo na frente! Nosso encontro nem começou, e já te venci só no olhar. Imagina se prossigo com todo o resto? Rastros de destruição vão ficar pela madrugada. Mas os detalhes e as surpresas, você precisa saborear sem álcool...

Hoje estou impiedosa. 

E te quero sóbrio!

Comentários

  1. É sério isso? Assim as oito da matina você brinca de me deixar sem ar, sem palavras, sem nada.

    ResponderExcluir
  2. Pota que los parêo!
    Mulheeeeeeeeeeeer, como faz uma coisa dessas? Que texto é esse? Estás demais!

    E a trilha sonora maaaaaaaassa!

    Beijo em tu, bicha porreta!

    ResponderExcluir
  3. UAU! só isso consigo dizer sobre o que li. <3

    Beijos, Camila!

    ResponderExcluir

  4. Pronta para matar hahaha, você escreve MUITOO bem, parabéns ;)

    E você perguntou se eu tenho snap, entao;.. eu tenho, mas nem uso, nem sei qual meu nome lá porque já desinstalei, estou me dedicando ao insta+blog+face primeiro, ai passo pra lá hahahaa

    Beijos, Love is Colorful & Sorteio Lentes para Celular

    ResponderExcluir
  5. Você e a Fê estão querendo nos fazer ter uma taquicardia né?! Hahahah
    Também só pode dizer WOW, sobre essa sua ousadia!!
    To amando demais seus textos <3
    Beijinhoos :**
    http://queridaasmemorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Isso me lembra do tempo de fake, faltou até.


    Www.nadaover.com

    ResponderExcluir
  7. Que isso?! Senhor, até eu fiquei sem folego e hipnotizada.
    Muito, muito bom mesmo Re. As vezes o olhar nos entrega e diz o que não conseguimos dizer. Esse foi mais um de tirar em que fiquei sem saber o que dizer.
    Amei, amei Re! Beijos meu bem, estava com saudades de vim aqui

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas

Não achei um título pra você

Acordei como um papel em branco perdido em milhões de gavetas. Não são gavetas, mas é como se fossem. Estou entre duas cobertas e um lençol de elástico, que se soltou da cama no meio da noite. Deve ser um sinal de que algo está onde não deveria. Um ponto fora da curva. Uma curva fora do ponto. Final, por sinal. E espero que não estejamos falando de nós. 
Sinto que falta algum pedaço de história ser escrito em mim. Em meio a tantas cicatrizes, não reconheço mais todas as marcas de ferida que sobraram aqui. E olha que são muitas!
Ontem à noite você não disse nada. Quase nunca você diz. É como se a vida estivesse gritando uma senha no balcão e a gente estivesse dormindo na sala de espera. Estar: um verbo do tamanho do mundo, que quase não reconheço mais. Presença às vezes significa mais ausência do que o contrário. Queria enrolar seus cabelos enquanto você dorme, mas eu sempre pego no sono primeiro. Será que algum dia vamos, enfim, nos esbarrar na esquina da nossa sala? Quem sabe tomar …

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…