Pular para o conteúdo principal

Diário de viagem: Praia de Campina


Três viagens diferentes em uma semana. Essa sou eu! A loucura toda terminou ontem, então estou viva para contar a história. Viajar pra reportagem é legal, mas hoje vim falar do passeio que fiz no feriado prolongado da independência. Foram três dias sem internet, e ao contrário do que pensei (que enlouqueceria), me surpreendi com meu domínio próprio. Chegamos à conclusão que, no lugar certo, a rede que liga o mundo inteiro, é só um aperitivo à mais. 

O destino da vez foi Praia de Campina, até então desconhecida por mim. Na verdade, conheço muito pouco da Paraíba, mas sei que ainda tem muita coisa bonita pra eu ver. Praia de Campina fica localizada numa vila de pescadores em Rio Tinto, litoral norte do Estado. Posso dizer que é um lugarzinho pacato. É tão tranquilo, tãaaaaao tranquilo, que não tem nem vendedor de picolé passeando pela areia da praia. Nada! Na verdade, na localidade só tem uma pousada, um restaurante e uma Assembleia de Deus (que em toda cidade tem, haha). 

Mas falando da praia: dá pra fazer naturismo, topless e muita coisa que vai ficar só na imaginação desta vez. Como a viagem foi em família, nos divertimos planejando o que seria de nós sem ninguém por perto... (reticências).

Eu disse que o lugarejo é pacato? Pois tanto é que não tem nem sinal de telefone. (Só na praia, e contando com alguma sorte). Além de curtir tudo de lindo que a natureza guarda por lá, o tempo foi aproveitado jogando dominó, balançando na rede, e tomando um sol (maior parte). Sobre a abstinência da internet: lidei bem.

Passamos por algumas trilhas maravilhosas, onde ciclistas e aventureiros costumam acampar. Soube que no carnaval tem praia lotada e vendedor de picolé sim. Veremos! Na localidade de Barra de Mamanguape encontramos falésias incríveis, areia bem branquinha, e um azul maravilhoso. Além disso, tem um quebra-mar que deixa as ondas, tipicamente fortes, bem, mais tranquilas. Lindo de se ver!

Lá ainda tem o projeto Peixe-Boi, que não deu tempo de visitar dessa vez #mimimi, mas já me contaram que nem sempre é garantia de que meu amiguinho aparece no mangue, principalmente agora que é o único marítimo do projeto. :(

Fora o babado, confusão e gritaria que toda viagem em família tem que ter, praia de Campina ficou pra história, porque:

(ordem dos acontecimentos)

1. Perdi meus brincos de casamento dentro do mar. Yemanjá "levou-se" embora. (Custaram R$1 o par, e isso merece um post). Na verdade, eu perdi só de uma orelha, mas meu menino fez favor de perder o outro também, quando colocou o par na água tentando fazer dele um ímã. (Não lembro de ter sido o álcool, então foi leseira mesmo).

2. No segundo dia, tios acharam que primos estavam se afogando e, de longe, os primos viam os tios animados para entrar na água. De longe, as "vítimas" do afogamento, que não existiu, achavam que os tios queriam brincar num danado de um um colchão inflável, que alguém resolveu que seria uma boa ideia levar pro mar. Assim como o colchão, todos murchamos na beira da praia com o desespero sem motivo dos tiozões. Virou meme e zoeira até o fim da viagem!

3. Meu menino atropelou uma galinha (ou galo. Ainda está indefinido). Eu não vi, porque estava fechando o portão, então não serei enquadrada como cúmplice. Mas pelo menos três testemunhas deram depoimentos voluntários que viram aquelas pernas fininhas por baixo dos pneus. Bom, até o fim da viagem, a galinha não havia encontrado a luz ainda. Então, por enquanto, só é tentativa de homicídio né? #Oremos


4. Enfim, comprei um doce de leite de lata, que estava com um desejo doido de comer há tempos. Doce de leite caseiro, com gosto de infância, com gosto de doce de leite do jeito que tem que ser. Uma lata toda minha, toda pra mim, pra não dividir com ninguém. Arrisco dizer que uma vida, pra ser maravilhosa, precisa ter uma lata de doce de leite dessas. Estou aproveitando cada colherada como se fosse a última, mesmo restando quase meio quilo do doce que é só meu! (Uma pessoa dessas precisa de tratamento!)


Acho que levei "diário" muito à sério né? Espero ansiosamente pela próxima viagem, mas enquanto ela não chega, ficamos com os posts do blog, que dá quase no mesmo!

Como foi o feriado de vocês? Ou a última viagem?
Bom fim de semana, tenham modos e sejam legais hoje!


Encontre o blog 

Comentários

  1. Re meu deus ri horrores com seu diário, a melhor parte sem dúvidas foi o não afogamento, ou a quase homicídio da pobre galinha, agora fiquei na dúvida rs.
    Ás vezes é bom desconectar e sim quando o lugar vale apena é maravilhoso.
    Adorei esse post, aguardando suas novas aventuras rs.
    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você riu só porque eu contei, imagine eu que estava lá Camis? Morta 3xx hahaha ♥

      Excluir
  2. Eu conheço esse lugar! E viajei até lá novamente com seu texto!! Obg... Qdo eu fui tinha 2 peixes-boi (não sei se o plural tá certo kkk)... lugar lindo... vale a pena conhecer!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É massa né Kelly? Vale demais, cara! Alguns lugares são tipo Califórnia né? (eu falando, como se tivesse ido lá? Lindo!)

      Excluir
  3. Que linda! rsrs
    Adoroooooooooooooo blogs assim como o seu que a gente termina de ler ávida pra comentar, Querendo prosear horrores (precisamos nos e encontrar pessoalmente, tipo, urgente!).
    Eu não conheço a Praia de Campina (e fiquei pensando se este nome tem alguma relação com a Rainha da Borborema, já que lá não tem praias. Errou a localização? rsrs).
    Também conheço pouquíssimo da Paraíba e fiquei sonhando com essa calmaria, acho que seria bom um final de semana sem snap, whatsapp, instagram... algo como se reconectar com a natureza. (suspiros!)
    Amei "viajar" contigo e morri de rir com seu diário, família... é sempre tão igual, e tão divertida! Com a minha não seria diferente. rsrs

    Beijosssssssssssssssssssssssssssss amando aqui (vou sempre comentar mais)
    Juh Barreto
    www.territoriodemeninas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Ai ♥♥♥ (Precisamos nos encontrar pessoalmente mesmo Ju! Se bem que acredito que o desastre será graaaaaande, hahahaha). Ah, as viagens... <3 Limpam a gente por dentro né? Bom demais!

      Excluir
  4. Eu morro de vontade de conhecer as praias da parte de cima do Brasil, deve ser lindas! <3
    E eu amo, amo, amo de paixão viajar com a família, a única coisa que não pode faltar é babado, gritaria e confusão HAHAHAHAHAH é sempre muito bom estar com pessoas que a gente ama né?!
    E eu não consigo gostar de doce de leite caseiro =/ gosto só do industrializado. Com queijo huuuuuuuuum delicia!
    Beijos Rê e um excelente final de semana pra você! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mentira que você não gosta de doce de leite caseiro? MENTIRA QUE VC SÓ GOSTA DO INDUSTRIAL! Diga que é mentira. (Matou meu coração e minha alma, agora) :~

      Excluir
  5. Rêêêê, sou doida pra conhecer mais as praias da Paraíba. A avó do meu namorado já falou de tantos lugares. Mas o fato é que sou mais praieira que ele, e eu que trago ele pra praia de cá (Carneiros). Hahaha
    Mas vamos aos acontecimentos... Yemanjá adora levar 1 brinco só. Já perdi vários assim. O último foi no Carnaval, e era um brinco super lindo, de bijou, mas já tinha anos comigo e quase não usava. Um belo dia resolvi: vou pra praia dyvar com ele. Bem, 1 deles se foi e só de raiva joguei o outro no mar também: - Quer 1? Leva os 2, mulher. Yemanjá não devolveu. Deve ter curtido a iniciativa. kkkkkkkkkkkk
    Coitados dos tios e da galinha. E você é ótima narrando situações. kkkkkkkkkkk... "até o fim da viagem, a galinha não havia encontrado a luz ainda. Então, por enquanto, só é tentativa de homicídio né?" #morri
    E doce de leite? Aaaaaaah, doce de leite! E deixe de ser gulosa e egoísta e mande pra cá, mande! :)

    O meu feriado você viu como foi. E já tá convidada pra conhecer a praia. ;)

    Beijããão :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu é a cara do babado, meu Deus!!!! ♥ Quer um? Leva dois! Muito bem. É isso mesmo! (Nem sei como ficou o caso da galinha ou galo - ainda naquela indefinição do gênero). Doce de leite é bom demaaaaaaaaaaaais. Não deu pra mim... quem dirá para fazer as divisões em capitanias? hahaha. Quero carneiros! (um dia)

      Excluir
  6. Não conheçoo praia da campinaaaa, mas ameeei o seu textooo!! Ai você me deixou super empolgada de viajara auehaeauheae
    uaheuiahe tadinha do galo, ou da galinha ): meu deus,a inda bem que nao estava lá.
    Sou LOUCA VICIADA, APAIXONADA, por doce de leite hahaha

    Beijos, Love is Colorful & Sorteio Lentes para Celular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ah Bárbara. De doce de leite e de viagem né? <3

      Excluir

Postar um comentário

Mais lidas

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…

Quando vai sobrar um pouquinho de você pra mim?

Hoje eu tive um daqueles típicos dias de cão. Se você nunca teve um, vou te explicar como funciona. Primeiramente você acorda, e pode deixar que o universo cuida do resto. A noite já foi mal dormida mesmo, então o que vem a seguir são só aperitivos. E vou te dizer mais uma coisa: dormir numa cama que você acha que nem é mais sua é a pior experiência que existe. Você acorda mais cansado do que quando foi dormir, é preciso pontuar. A companhia também conta muito. E o que aconteceu antes também. Desculpa o arrodeio todo, mas o dia de cão começa vinte e quatro horas antes, ou na noite anterior, bem antes de dormir.
Começa comigo, acordando cedo em pleno feriado para cobrir um plantão policial daqueles. (rebeliões. meninos tocando fogo em colchão, tentando matar o colega da cela vizinha, e eu imaginando como o mundo pode ser assim. daí tem explosão a banco, arrombamento de cofre, perseguição pelo meio do mato e tudo que um repórter de cidades tem direito). O plantão acaba, e quero aprovei…