Pular para o conteúdo principal

Anônima




Dizem que a gente precisa fazer algo inusitado para deixar de ser o anônimo de alguém. Eu fiz uma loucura...

Escondida atrás da cortina branca que cobre minha janela, vejo você descer com pressa as escadas do bloco ao lado. Já te espero há uns trinta e cinco minutos, mais ou menos. Tanto te controlo, anonimamente, que sei a hora das tuas chegadas e saídas. Contando teus atrasos, você já deveria estar do lado de fora do hall.

Fecho o olho, e respiro.

É o tempo que você desce, com cabelos molhados de quem saiu do banho. Imagino você no chuveiro e mordo o tecido, sorrindo. Espero que o prédio não tenha outro maníaco, além de mim.

Debaixo de uma jaqueta de couro, tua camisa marca o desnível do peito e a ladeira dos teus braços fica evidente. Acompanho o espetáculo pela fresta da cortina, mas você está tão bonito hoje, que arrisco colocar todo meu rosto pra fora. O perigo vale à pena, afinal, estamos falando de você.

Não é culpa minha. E sou tão sem vergonha que repito essa besteira pelo quinto mês seguido, desde que esta janela virou meu canto favorito da casa. Teu corpo suado, tirando a camisa molhada da academia, atravessou sem pedágio meus olhos pretos, e agora passo as tardes aqui - esperando você entrar ou sair dessa porta.

Tenho obsessão por veias. E tuas mãos são cheias delas. Uma overdose pra mim! Essas mãos procuram aflitas as chaves do carro, no bolso de um jeans escuro. Se Deus existe mesmo, hoje Ele vai fazer sumir essas chaves - pelo menos até minha carona avisar que chegou. A gente nunca se cruzou antes, mas daqui a pouco isso vai mudar.

Meu interfone toca.

Pego a bolsa largada em cima da cama, e abandono a cortina, onde te vejo todos os dias, quase sempre neste mesmo horário. Se a sorte estiver ao meu lado, hoje você vai me conhecer. Tiro a cara de abestalhada em frente ao espelho, antes de abrir a porta. E desço fazendo barulho.

Toc, toc, toc, toc.

Meus sapatos são prejuízo ao silêncio das sacadas. Passo os olhos pela bolsa procurando não sei o quê, e num descuido, bato a testa em você. Porcaria! Não calculei o que fazer no meio de um desastre.

Então aproveito que já estou aqui mesmo, e te beijo de um jeito sacana. Tudo fica um pouco intenso, mas no meio do meu sonho bom, te empurro no chão vazio e saio.

Toc, toc, toc, toc, toc.

Prazer. Agora você já sabe quem eu sou...

Comentários

  1. Você e seus textos malucos, que me tiram a pouca sanidade que me resta.

    ResponderExcluir
  2. "Acompanho o espetáculo pela fresta da cortina, mas você está tão bonito hoje, que arrisco colocar todo meu rosto pra fora. O perigo vale à pena, afinal, estamos falando de você."
    Uau, amei o texto!!

    http://apequenaka.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei do "Uau", hahaha. Venha sempre que quiser :)

      Excluir
  3. GENTE, minha cabeça fervilha de possibilidades. Esse texto me deixou sem fôlego e as interpretações que dei para as tuas linhas me deixam tonta.

    ADOREI Rê ♥

    ResponderExcluir
  4. Que texto mais... Insano. HAHAHAHAHHAH
    me idendifiquei com toda a loucura.
    http://ladomilla.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK INSANO (E hoje tu falou de loucura né?) Prende todo mundo aqui!

      Excluir
  5. Como eu adoro ler essas coisas Rê!
    Você tem um talento enorme de prender nossa atenção e ficar imaginando as coisas, as cenas, os personagens e o que virá depois e se virar.
    Que bom que essas loucuras acontecem aqui.

    Beijo.
    (tô sumida mas tô aqui)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apareceu a margarida. (Tá sumida mesmo, hein? O fim do Beda levou você "simbora" :( mimimi) E que bom que tu gosta de toda a minha doidêra. ♥

      Excluir
  6. Mulheeeeeeer, me diz o segredo dessa mente criativa!
    Teus textos sempre tirando o fôlego, Rê!

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se disser que minha mente é criativo, eu travo. Nem sempre tô nos dias. Tem vezes que dá tpm nos meus dedos, hahaha <3

      Excluir
  7. Oinn! que texto gostoso de ler! Parabens! Muito bom. Beijinhos

    http://www.verdadeescrita.com/a-sociedade-conectada/

    ResponderExcluir
  8. Minha imaginação foi longe nesse texto, imaginei um final bem diferente hahahah Nunca tinha lido um texto assim, adorei muito!

    Um cheiro, lindona!
    www.vinteetantos.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…

Quando vai sobrar um pouquinho de você pra mim?

Hoje eu tive um daqueles típicos dias de cão. Se você nunca teve um, vou te explicar como funciona. Primeiramente você acorda, e pode deixar que o universo cuida do resto. A noite já foi mal dormida mesmo, então o que vem a seguir são só aperitivos. E vou te dizer mais uma coisa: dormir numa cama que você acha que nem é mais sua é a pior experiência que existe. Você acorda mais cansado do que quando foi dormir, é preciso pontuar. A companhia também conta muito. E o que aconteceu antes também. Desculpa o arrodeio todo, mas o dia de cão começa vinte e quatro horas antes, ou na noite anterior, bem antes de dormir.
Começa comigo, acordando cedo em pleno feriado para cobrir um plantão policial daqueles. (rebeliões. meninos tocando fogo em colchão, tentando matar o colega da cela vizinha, e eu imaginando como o mundo pode ser assim. daí tem explosão a banco, arrombamento de cofre, perseguição pelo meio do mato e tudo que um repórter de cidades tem direito). O plantão acaba, e quero aprovei…