Pular para o conteúdo principal

Anexos


A segunda-feira merece algo que dispare nosso coração. E por que não, uma história? Hoje vim compartilhar com vocês o último livro que li e fez isso comigo. Dei de cara com Anexos na entrada da livraria, e achei a capa tão fofa que parei pra ler a sinopse. Nunca havia lido nada de Rainbow Rowell, e a sensação de terminar esse romance foi tipo: suspiros. Me sinto a pessoa mais esperta do mundo, quando:

1. encontro um livro do qual nunca ouvi falar antes
2. descubro a história sozinha
3. ela me surpreende.

Ler Anexos foi como devorar um brigadeiro e lamber o granulado pelos cantos da boca. Duas semanas depois, continuo abestalhada. Boas histórias sempre fazem isso comigo! Gostei tanto de Rainbow, que sábado comprei outro livro dela.

Mas vamos à trama.

O ano é 1999.
O lugar é a redação de um jornal impresso. (♥)
Imagine duas amigas que conversam muito por e-mail.

Beth é a repórter responsável pela crítica de Cinema do The Courier. Enquanto ela sonha com o dia em que seu namorado, o guitarrista Chris, pedirá sua mão em casamento, sua melhor amiga Jennifer - revisora do mesmo jornal, morre de medo de engravidar e realizar o sonho do marido de ter filhos. São essas as histórias que Beth e Jennifer contam uma para outra em longos e-mails, que sempre acabam no alerta da segurança de internet do jornal.

Lendo e-mail por e-mail, Lincoln (responsável por checar os e-mails com bandeira vermelha) passa a conhecer tão bem as meninas, que é como se tomasse café com elas todos os dias. Ele deveria adverti-las sobre o uso do e-mail corporativo da redação, mas não consegue. Elas são engraçadíssimas. E não é só por isso. Algo no jeito como Beth debocha de um filme ruim ou conta sobre seu dia em casa e na reportagem, faz com que ele se apaixone por ela - mesmo nunca tendo-a visto.

Ele começa a visitar a mesa onde ela senta, quando ela não está, e sente ciúmes quando Beth fala sobre um cara gato que conheceu no meio de uma apuração. Só que Beth namora Chris há nove anos, e pior. Ela nem sabe quem é Lincoln. Ou sabe?

♥ Anexos faz a gente acreditar que não importa como: se somos o alguém de outra pessoa, é o destino quem cuidará do encontro.

♥ O amor pode estar naquele trabalho chato.

♥ É delicioso de ler, e por isso já vale o investimento.

♥ O jeito como Lincoln olha para Beth, faz com que a gente queira ser ela.

♥ Não é uma história de coitadinhos. É uma história de amor, com todas as suas possibilidades e tropeços. (Assim como na vida real)

♥ É um absurdo que Anexos não tenha um filme ainda. #protesto


Vou ficar devendo a seleção das minhas quotes favoritas, simplesmente porque me envolvi tanto que não grifei nada. Alguém aí já leu o livro?

Que a semana de vocês seja linda e apaixonante, assim como esse livro.
Beijocas.

Encontre o blog 

Comentários

  1. Anexos é um dos meus queridinhos da Rainbow, conseguiu tomar o posto de Eleanor e Park. Aliás amo todos os livros dessa mulher, mas Anexos é tão eu e uma amiga que chego a ficar na dúvida se ela não leu nossas mensagens.
    Amei você ter indicado ele Re.
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  2. Rê, amorezuda! Saudade!
    Primeiro que fiquei babando nas fotos do seu passeio e no corpão. Arrasa muito!
    Mais uma vez, desculpa o sumiço. Setembro me engoliu.

    Tô com esse livro pra ler no celular, desde que o vi nalgum melhores do ano por aí.
    Conhecia a autora pelos outros títulos, mas nunca li nenhum.
    Já sabia que começaria por Anexos e agora tenho certeza. Obrigada por indicar.

    (Falando em livros, logo logo unirei no Prato um projeto de leitura que eu tinha com umas amigas e ficou esquecido. )

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar, mas pelo que você passou, eu gostei. A ideia dele sobre o amor, é a mesma da minha. Me identifiquei, agora quero ler. :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

20 semanas: chegamos na metade

Finalmente chegamos na metade da gestação. E quando penso nisso, vejo um reloginho me lembrando que logo logo seremos três em casa. Que logo logo, fraldas, lencinhos e chupetas vão se tornar acessórios obrigatórios na minha bolsa. Que logo logo, o cantinho que eu havia programado para ser meu escritório vai dar lugar a um lindo quarto de bebê. Que daqui a algum tempo, eu vou tropeçar em brinquedos. Que haverá mais um homem em casa. 
Tudo parece assustador e delicioso ao mesmo tempo. Tenho vontade de chorar e de rir. E em algumas ocasiões, não sei como diferenciar uma coisa de outra.
Esta semana eu passei dos limites nas comilanças. Comecei esticando de um chá de fraldas (de um amiguinho do Joaquim) para um aniversário. Nunca comi tanta bobagem e tomei tanto refrigerante de uma vez na vida. E na volta pra casa, a cada semáforo fechado, minha consciência ficava tão pesada quanto a minha barriga. #envergonhada
Minha mãe começou a fazer cueirinhos, toalhinhas de fralda e paninhos de chup…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…