Pular para o conteúdo principal

Programado para não receber ligações

Para ler com música, clique na foto.
Pinterest

A bateria do telefone está apitando...

Natasha esperou você ligar sabia? Até os mais inocentes entenderam que aquele "eu te ligo" não significava absolutamente nada, além de sobras. Depois daquela balada vazia, em que você levou ela pra casa - e para os outros lugares que não estavam no roteiro - ficou essa promessa clichê na despedida. Ela fechou a porta, ficou parada sonhando com o dia seguinte, e você foi. Com o orgulho de mais uma vítima que fez.

É nisso que os corações pequenos se apegam: nas promessas dos canalhas. Qualquer palavra vira paixão. Qualquer olhar vira saudade. A mensagem vazia vira bilhete de amor, e lá começam as mentiras que só uma banda da laranja acredita.

Se tem uma coisa que Natasha odeia [e quem não?] é: Da boca pra fora. Você sabe do que estou falando, não se faça de desentendido. Esse "eu te ligo" que fica entre a esperança de um novo abraço, e o "foi só por hoje" dá nó na garganta, cara. Ah Natasha... Eu já estive ai!

Por que as pessoas deixam os compromissos em aberto? Por que tratamos os outros como possibilidades?

Natasha cansou desse joguinho em que há sempre o mesmo vencedor. Sabe quê mais? As outras Natashas vão cansar também. Um dia é da caça, meu amigo, fique esperto! Qualquer dia desses esse jogo vira. Ela pode continuar lá, esperando feito uma tonta aquela mensagem que nunca veio, aquela ligação que não chega nem à cobrar, e aquele reencontro que só ela acreditou que aconteceria. 

A culpa não é dela! Com o coração das pessoas não se brinca, e você a fez aprender isso de peito fatiado. Na dor. Com o sangue ardendo na pele.

Pra você nem deve ser difícil encontrar novas doses de beijos que somem no dia seguinte, mas não é isso que Natasha quer. Talvez nem ela contasse com essa reviravolta:  todas as pilhas acabaram, e esse estoque não poderá mais ser resposto. A bateria descarregou. Os copos de tequila que ela bebeu pra te esquecer estão sendo substituídos por um milkshake sóbrio com alguém especial. Sem ressacas. Sem dores.

Não mais.

Um cara de verdade, sem medo de se prender nela, que ligou, que ficou, que reagiu. Outras noites vieram depois daquela, e agora são somente deles. Algo que não se perde na manhã seguinte - você não sabe o que é isso. E quando finalmente você desenterrar aquela agenda telefônica antiga, em que lá estiver a lembrança do verdadeiro sorriso dela, você vai discar e ouvir...

Este número está programado para não receber ligações. Erro no sistema, meu caro! Aqui estão inclusos os 10% do garçom...



Encontre o blog

www.eurenata.com

Comentários

  1. Nunca confiei no "Eu te ligo" porque eu sempre me magoava com a espera. =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acontece. O que muda, é o que fazemos com essa mágoa que fica.

      Beijo Clayci.

      Excluir
  2. Mds amei o texto *----*
    Você escreve algum tipo de história!? Em algum app online ou coisa do tipo?? Adorei sua escrita mesmo :D
    Se tiver me contacta que quero ler mais do que você escreve. E se não tiver, fiz um post com alguns links que gosto muito, se quiser ver Ganurb: Onde ler/Onde escrever
    beijoss
    Ganurb

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô Bruna ♥ Eu vi esse post, acho que domingo. Já guardei o link lá em casa, pra subir meus textos na plataforma. Só escrevo aqui por enquanto! Assim que eu começar a usar, eu te aviso - e posto aqui minha experiência :}

      Beijos, Bruninhaaaa!

      Excluir
  3. com o coração das pessoas não se brinca

    seria tão marvilhótimo se as pessoas lembrassem sempre disso

    Adorei o texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria bom mesmo, Fernanda. Obrigada demais pelo carinho!

      Excluir
  4. Adorei o texto, ainda mais porque criava muitas expectativas e sempre quebrava a cara. Hoje, a Natasha aqui, aprendeu a não ser mais assim

    http://www.bilhetedagarrafa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que já rolou com todo mundo, Daiany. Nada como umas boas porradas pra a gente aprender!

      Beijo

      Excluir
  5. Ameei o seu texto e realmente com o coração das pessoas não se brinca. Eu já sofri demais por amor, e sei o quanto é ruim!!!

    beijoos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também, Bárbara. Só assim pra a gente se orientar... haha.

      Beijo.

      Excluir
  6. Seria tudo mais fácil "Um cara de verdade, sem medo de se prender nela, que ligou, que ficou, que reagiu". <3
    Amei a dica da música Rê <3
    http://www.mayentrandonoassunto.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria mesmo mais fácil, May! Todas as crônicas vem acompanhadas de músicas, aqui. Que bom que gostou ♥ Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Mais lidas

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…

Quando vai sobrar um pouquinho de você pra mim?

Hoje eu tive um daqueles típicos dias de cão. Se você nunca teve um, vou te explicar como funciona. Primeiramente você acorda, e pode deixar que o universo cuida do resto. A noite já foi mal dormida mesmo, então o que vem a seguir são só aperitivos. E vou te dizer mais uma coisa: dormir numa cama que você acha que nem é mais sua é a pior experiência que existe. Você acorda mais cansado do que quando foi dormir, é preciso pontuar. A companhia também conta muito. E o que aconteceu antes também. Desculpa o arrodeio todo, mas o dia de cão começa vinte e quatro horas antes, ou na noite anterior, bem antes de dormir.
Começa comigo, acordando cedo em pleno feriado para cobrir um plantão policial daqueles. (rebeliões. meninos tocando fogo em colchão, tentando matar o colega da cela vizinha, e eu imaginando como o mundo pode ser assim. daí tem explosão a banco, arrombamento de cofre, perseguição pelo meio do mato e tudo que um repórter de cidades tem direito). O plantão acaba, e quero aprovei…