Pular para o conteúdo principal

O cretino da área policial


Se tem uma coisa de que sempre fui íntima, foi a área policial. Meus pais trabalham com segurança pública, então esse tema está desde sempre na minha vida. Quando decidi por jornalismo, e não por ser uma oficial da polícia - como meu pai sonhava, nem parei pra pensar que a área policial é algo diário na vida do repórter. Não tenho problemas com isso, mas quando eu era criança morria de medo do Linha Direta, apresentado por Domingos Meirelles. Só de ver a chamada do programa, já era garantia de uma noite sem sono. E hoje, guardadas as proporções, estamos meio que no mesmo barco.

Faz pouco mais de um mês que estou emprestada ao caderno de Esportes, mas semana passada mal cheguei na redação e tive que sair correndo para uma ~tcharam~ matéria policial. Alguém muito importante foi encontrado morto, e tive que deixar a demissão de um técnico da série D pra depois. Corremos para o prédio onde supostamente haveria uma cena do crime, e como era de se esperar encontrei vários colegas por lá.

Perícia vai, perícia vem, o corpo finalmente desceu e foi guardado dentro do rabecão do IML - algo que não me interessava em nada. Eu estava ali para pegar detalhes sobre o caso com a Polícia Civil, Perícia e, com sorte, com a família também. Se algo ultrapassa isso, amigos, a coisa já começa descer de nível. E desceu! Sempre tem um santo pra desmoralizar a classe.

Enquanto eu pegava informações com a Polícia Científica, um colega abriu a tampa da caixa que guardava o corpo e disparou vários flashes. Meu fotógrafo sempre fala do cretino fundamental de Nelson Rodrigues. Nelson, obviamente, levava as coisas muito mais para o futebol, mas os cretinos estão em todos os setores da sociedade, e neste caso em especial, acho que vimos um de perto. Eu ainda quero fazer muita coisa dentro do jornalismo sabe? Mas se tem uma coisa que eu nunca quero ser, é o cara que levanta a tampa de um caixão pra tirar fotos. 

Acho que tudo que a gente faz na vida precisa ter um objetivo do bem. Levar informação às pessoas é algo muito nobre sabe? No jornalismo, ou na vida: não seja esse cretino.

Boa segunda!


Comentários

  1. Eu amei seu texto e concordo totalmente com você. Tem certas coisas que não precisamos fazer para chegar em algum lugar, isso que o cara fez de abrir a tampa do caixão foi mais que sensacionalismo, é falta de respeito.

    Você tem ética e honesta com toda certeza crescerá muito em sua carreira, pois todas as pessoas que são honestas tem o que é merecido da forma mais saudável e com qualidade, ao contrario destes outros tipos de pessoas que ao deitar-se não conseguem dormir.

    Amei seu texto e parabéns pela profissão, pela coragem!!

    Um grande beijo,
    Gi Santos
    www.guriachique.com

    ResponderExcluir
  2. Tenho nojo desse tipo de gente, sabe?
    Acho uma falta de respeito com a pessoa que esta ali sendo tratada como um ninguém. Sempre penso na família quando ver as fotos jogadas no mundo.
    Mas o ruim, é que nem é só no jornalismo né?
    Sempre que tem alguma tragédia tem aquele infeliz que invés de prestar algum socorro ou solidariedade usa seu tempo filmando ou fotografando a tragédia para depois, espalhar via whatsapp.

    O mundo tá muito doente..MUITO mesmo e isso me deixa muito triste e sem esperança.

    :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, Aninha. O mundo está muito doente. Temo que não tenha mais volta. O cretino está em todo lugar, e para nosso azar, às vezes tem uma câmera na mão.. :'(

      Excluir
  3. Ai sabe Re, as coisas hoje estão totalmente fora do contexto, o pessoal perdeu um pouco a noção do bom senso, infelizmente! Eu sempre gostei dessa área policial acho muito massa, essa coisa de pericia e tal, queria ser médica legista HAHAHAHAHAHAH deve ser massaaaaa!

    Bejios amore

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perdeu mesmo, Barbs! Realmente.. perícia é um emprego BEM original, mas não queria trabalhar com isso não :/ [ Se bem que os vivos é que são perigosos né?]

      Beijoo

      Excluir
  4. As pessoas perderam um pouco da noção, mais é assim. Faça o que vc ama, e sempre com muita honestidade, sem passar por cima de ngm.
    Beijos,

    http://blogsejaforte.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem passar por cima de ninguém. Nunca! É isso Bia <3

      Excluir
  5. Ai como me senti bem em saber que mais gente pensa assim.
    Aqui em Pernambuco tem vários programas populares, beeeem sensacionalistas, e alguns jornais também. Alguns que se dizem jornalistas se gabam por essas coisas. E a sensação de saber de gente que se aproveita dessas coisas é tão ruim.
    Oremos pra que mais e mais gente pense assim, porque tá complicado.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre tem né Magda? Que bom que fazemos parte do mesmo grupo de pessoas que coloca o coração na frente. Isso é o que fica ♥ #oremos

      Excluir
  6. Meu Deus, que horror Rê!!! Muita falta de respeito, isso sim, e se moncol também né? E como fica a família do falecido....? Surreal!
    Eu faço publicidade (comunicação social), mas nos três primeiros períodos da faculdade é tudo misturado com jornalismo, sabe? Eu ouvi cada coisa que só Jesus na causa... Fiquei boba com tudo!
    Costumo dizer que há o jornalismo honesto e o jornalismo podre, uma pena muita gente optar pela segunda opção :/
    Eu adorei o post Rê, de verdade <3
    Beijos!! ♥

    Clareando Ideias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Clara. Sempre existem as duas opções, mas somos nós que fazemos nossas escolhas. Que linda!

      Excluir
  7. Concordo totalmente com você, que absurdo que o cara fez, tudo para ter uma foto para dar impacto! O jornalista tem a função de nos alertar, de trazer notícias para o bem, e não para explorar a tristeza dos outros, acho isso um absurdo.
    E sobre sues pais, que animal eles serem policiais. Entendo você não seguir a carreira também sou super medrosa, mas eu gostava de ver linha direta, acrdita hahaha

    Beijoos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acredito que você gostava de linha direta. :O Eu ficava toda encolhidinha, tremendo de medo hahaha. Tu tá sumida hein? "bota a cara no sol, mona" haha.

      Beijo, barbs

      Excluir

Postar um comentário

Mais lidas

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…

Quando vai sobrar um pouquinho de você pra mim?

Hoje eu tive um daqueles típicos dias de cão. Se você nunca teve um, vou te explicar como funciona. Primeiramente você acorda, e pode deixar que o universo cuida do resto. A noite já foi mal dormida mesmo, então o que vem a seguir são só aperitivos. E vou te dizer mais uma coisa: dormir numa cama que você acha que nem é mais sua é a pior experiência que existe. Você acorda mais cansado do que quando foi dormir, é preciso pontuar. A companhia também conta muito. E o que aconteceu antes também. Desculpa o arrodeio todo, mas o dia de cão começa vinte e quatro horas antes, ou na noite anterior, bem antes de dormir.
Começa comigo, acordando cedo em pleno feriado para cobrir um plantão policial daqueles. (rebeliões. meninos tocando fogo em colchão, tentando matar o colega da cela vizinha, e eu imaginando como o mundo pode ser assim. daí tem explosão a banco, arrombamento de cofre, perseguição pelo meio do mato e tudo que um repórter de cidades tem direito). O plantão acaba, e quero aprovei…