Pular para o conteúdo principal

Não era minha imaginação



Essa tarde vou entregar essas cartas pessoalmente pra você. Sempre passo despercebido naquele corredor, mas hoje decidi que vou reagir. O barulho dos teus sapatos ecoam no saguão, e ouço teu riso de longe. É hora de contar só pra você os recados que eu sempre quis te dar. Te espero por trás dessa porta, por onde sei que você ainda passa hoje. 

Nunca senti teu cheiro amendoado tão de perto, como sinto agora. Meu pulso pula no peito, e as batidas que deveriam estar no coração tomam conta de cada pedaço de mim. Você vem sorrindo, e penso que não vou conseguir. O que tem debaixo dessas tuas lentes escuras, menina? Tira esses óculos pra eu ver que você também me olha. Solta esse sorriso que eu sei que você quer abrir pra mim. 

Vem cá, guria. Hoje somos só nós dois. Não há mais ninguém agora, além de um par de corações separados por falta de coragem desse cara aqui. Abro a porta, e você tropeça nos batentes que separam esta minha pele anônima da tua estampa florida. Foi você quem tropeçou, mas quem caiu nos teus braços fui eu. Essa é a chance que eu não posso perder hoje.

Nesse pedaço de silêncio que ficou entre tua queda e minha armadilha, acho que já tem algo acontecendo. É minha barba que está sobre teu batom...

Sempre vi você passar correndo as noites naquela garagem vazia, e agora você está muito perto do que ainda acho que é meu coração. Não sei como estão as coisas aqui dentro, mas por fora, me derreto em vontade de você. Queria não levantar nunca mais desse chão onde paramos acidentalmente agora.

- Acho que nunca fomos apresentados - digo, enquanto te puxo pelas mãos.

Você levanta se apoiando em meus braços que dão a volta pelo teu corpo.

- É mesmo? - me desafiou você, levantando uma sobrancelha bem debaixo dos meus olhos.

Sempre fui um cara bonzinho, mas hoje não deixo você fugir de novo. Essa é a hora em que beijo cada centímetro do teu rosto. E você retribui. Não era minha imaginação...

18/31

Comentários

  1. Meus Deus, Renata. Que crônica é essa??? Me senti completamente envolvida!
    Você não tem ideia da emoção que despertou em mim lendo esses poucos parágrafos.
    Seus textos são sempre muito bem escritos.
    Adoro muito ♥

    Último Biscoito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que coisa linda, Nay! #snif Espero que sempre que entre pra ler um textinho meu, se sinta assim ♥

      Excluir
  2. Ai é tão bom quando a gente percebe que aquilo não era sonho e sim realidade!
    Amei, e menina quando tava no meio da crônica pensei: " Não é possível que ela vai fazer isso de novo e só na quinta para a gente saber o que acontece" HAHAHAHAHAHA

    Beijos Rê

    ResponderExcluir
  3. Ai gente!
    Quando chegou quase no fim já ia vir correndo te xingar toda achando que ele iria deixá-la ir embora.
    Até que enfim temos um final feliz. HAHAHAHHAHAHA

    As vezes a gente alimenta uma situação e quando vai ver, era só na nossa cabeça.
    Mas aí, quando está na outra cabeça também, tudo se flore. <3

    Adorei! Ainda mais que teve final juntinho.
    Beijoca. ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkk ah Ana. Parece até que tô vendo tu falar. Ah bicha lesa, hahahaha. Mas ó aí ó. Dois peitos batendo um pertinho do outro hoje <3 Kedê teus post hein? Tu e Fernanda tão me deixando com medo. É sério!

      Excluir
  4. Ei, guria! para. Esse texto me deixou arrepiada!
    hahahahaha (me deixou com saudades de ler fanfics haha)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que lindo. Eu sempre fico pensando: será que as pessoas sentem o que eu escrevo? #choranddd :~

      Excluir
  5. Geeeeeeeeeeeeente, que texto é esse?
    Arrasou, arrasou!

    ResponderExcluir
  6. Imaginei toda a cena na minha cabeça!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Mayara, que lindo que você viu tudinho <3

      Excluir
  7. Gente, senti no útero esse texto hahahahaha!
    Que coisa mais maravilhooooosa. Deu pra imaginar tudo direitinho *__*
    Beijão, Rê!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKK no útero? Ulala. Brincs! Ai que sensação maravilhosa ler isso aqui ♥

      Excluir

Postar um comentário

Mais lidas

Não achei um título pra você

Acordei como um papel em branco perdido em milhões de gavetas. Não são gavetas, mas é como se fossem. Estou entre duas cobertas e um lençol de elástico, que se soltou da cama no meio da noite. Deve ser um sinal de que algo está onde não deveria. Um ponto fora da curva. Uma curva fora do ponto. Final, por sinal. E espero que não estejamos falando de nós. 
Sinto que falta algum pedaço de história ser escrito em mim. Em meio a tantas cicatrizes, não reconheço mais todas as marcas de ferida que sobraram aqui. E olha que são muitas!
Ontem à noite você não disse nada. Quase nunca você diz. É como se a vida estivesse gritando uma senha no balcão e a gente estivesse dormindo na sala de espera. Estar: um verbo do tamanho do mundo, que quase não reconheço mais. Presença às vezes significa mais ausência do que o contrário. Queria enrolar seus cabelos enquanto você dorme, mas eu sempre pego no sono primeiro. Será que algum dia vamos, enfim, nos esbarrar na esquina da nossa sala? Quem sabe tomar …

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…