Pular para o conteúdo principal

Dica de leitura: Dez quase amores


Imagine contar para uma amiga, em detalhes bem sórdidos, a história que você viveu com dez homens diferentes. Isso mesmo, dez! O livro é da gaúcha Cláudia Tajes, mas os Dez (Quase) Amores são de Maria Ana, personagem da história em questão. O livro foi publicado em 2000, ou seja, eu tinha oito anos. Imagine o ineditismo desta resenha. (Tô nem aí).

A cada capítulo, um novo quase amor improvável aparece para provar para Maria Ana, e pra você, que sim: Um dia você vai pular aquela lista de exigências que você tem para ficar com um cara. Na lista de Maria Ana essas exigências têm nome: Vanderley ou Dejair jamais podem estar no RG do cidadão, e usar chinelos de dedo ou ser casado nem pensar. De personal trainer à papai noel (sim, existe um romance com o bom velhinho), Maria Ana coleciona pelo menos dez amores - ou quase isso.

A desgraça dela é a nossa risada, e assim seguem as 127 páginas em pocket de bom humor que só Tajes tem. Dez (Quase) Amores é um livro para chorar de rir. "Bem-vinda ao clube das mulheres que só estão esperando uma boa oportunidade para mandar suas teorias às favas e passar a viver a vida como ela se oferece", disse Martha Medeiros (sim, a maravilhosa!) na sinopse da contracapa, quando me convenceu a comprar o título. 

É uma narrativa divertida e deliciosa de ler. E minha amiga, se você estiver na deprê, confie: não há remédio melhor pra te curar dessa solidão gótica! Acho que comprei o livro por R$10 lágrimas na época. E foram os reais mais bem pagos da história do meu porta-moedas. Ainda mais hoje, que R$10 dá o quê? Um quilo e meio do pãozinho?

Coragem, que é sexta-feira, gente. Beijo pra todo mundo!
07/31


Encontre o blog ♥

Comentários

  1. Cheirinho de livro antigo... ATCHIMMMMMM!!! rs
    Brincadeirinha, adoroooooo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camyli, bicha má! Hahahaha ♥ Eu sei que foi divertida :)

      Excluir
  2. EU QUEROOOOOOOO. EU PRECISOOOOOOO. EU TENHO QUE LER! hahahahah Adorei o fato que, você falou dela lá no comentário do meu post sobre chick-lit, e eu venho aqui e a resenha que leio é de quem? De quem? Delaaaa! hahahahaha Cara, super curti essa resenha. Pronto, vou ler.

    Obrigada pela dica e nossa, sinto que essa história desse livro vai ser "daquelas".
    Um beijo
    http://sobaluzdalua.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Delaaaaaaaaaaaaaa! Dela mesmo Maya linda! É uma história daquelas mesmo. Aliás, essa autora é maravilhosa! Eu me casaria com ela por tanto bom humor Maya ♥

      Excluir
  3. Eu quero! Onde encontro? :( Vou pesquisar!
    namesmafrequencia.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comprei no Hiper Bompreço da minha cidade. Mas no site da editora, redireciona direto nas livrarias on-line onde tem ele! (Sou lesa, Jéssyka. Esqueci de colocar). Mas tá aqui o site >>>

      http://www.lpm.com.br/site/default.asp?Template=../livros/layout_produto.asp&CategoriaID=673729&ID=647184

      Excluir
  4. Esse livro parece ser ótimo, que além de nos deixar uma lição de vida (amorosa) nos faz rir das histórias vividas. Mesmo que tem 10 anos, uma boa história não tem idade!
    Bjos,

    http://blogsejaforte.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Bianca. As histórias não têm idade :))) E eu só soube que era de 2000, quando tava escrevendo esse post viu? É que pelo que vi, parece que eles reimrpimiram várias vezes ♥

      Excluir
  5. Eu amo tanto esse tipo de livro que nem sei. Ainda mais de nacionais, dou sempre chances e sempre me surpreendo.
    Vou procurar pra comprar, se não encontrar, tô passando aí pra pegar emprestado. haha

    Beijos! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também Aninha ♥ Tenho um monte de livros dela, e quero mais! (Ela é lôca - do jeito que gostamos). Procure mesmo. Aliás, dessa autora, qualquer outro vale à pena. Vem pegar meeeeeeeeeeeeeeeeeeeeemo aqui na Paraíba :DDDDDD Hahahaha (bem pertinho)

      Bom findsss Aninha amor ♥

      Excluir
  6. Geeeeeente que foofo hahaha, quero muito o livroo!! Vou procurar para eu comprar

    Beijoos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito fofo mesmo, Barbs. Qualquer livro dela vale à pena. Vai na fé!

      Excluir

Postar um comentário

Mais lidas

Não achei um título pra você

Acordei como um papel em branco perdido em milhões de gavetas. Não são gavetas, mas é como se fossem. Estou entre duas cobertas e um lençol de elástico, que se soltou da cama no meio da noite. Deve ser um sinal de que algo está onde não deveria. Um ponto fora da curva. Uma curva fora do ponto. Final, por sinal. E espero que não estejamos falando de nós. 
Sinto que falta algum pedaço de história ser escrito em mim. Em meio a tantas cicatrizes, não reconheço mais todas as marcas de ferida que sobraram aqui. E olha que são muitas!
Ontem à noite você não disse nada. Quase nunca você diz. É como se a vida estivesse gritando uma senha no balcão e a gente estivesse dormindo na sala de espera. Estar: um verbo do tamanho do mundo, que quase não reconheço mais. Presença às vezes significa mais ausência do que o contrário. Queria enrolar seus cabelos enquanto você dorme, mas eu sempre pego no sono primeiro. Será que algum dia vamos, enfim, nos esbarrar na esquina da nossa sala? Quem sabe tomar …

A crise do cometa

Tumblr: My name is Caroline

Ouvi dizer que um cometa de nome bem difícil vai passar pertinho da Terra amanhã. Pertinho é charme, são 21 milhões de quilômetros de distância da Terra, o menor valor de distância já registrado na história. Não sei em que isso muda minha vida, ou a sua (Sou de humanas). O fato é que coisas estão girando o tempo todo. Coisas estão ficando mais perto umas das outras, ou se afastando rapidamente. O lugar onde estamos hoje é consequência de coisas que aconteceram à nós. Segunda lei de Newton, amor: a força aplicada em um corpo tem total relação com a mudança na velocidade sofrida por ele. Tô parecendo até intelectual de exatas falando assim, mas foi um belo googão. ♥
Isso significa algo bem importante: estamos vivos. Piscamos os olhos, coçamos a mão e "me belisca pra eu ver que eu não tô sonhando". Ação e reação. A gente funciona. Não somos passivos. Somos uma massa grande de neurônios, pele, sistemas e coração. Ah, esse danado desse coração. Às vezes…

Ainda cabe você aqui dentro

Foto: Pinterest


Às vezes perco o tempo de vista imaginando como seria ganhar um sorriso seu. Confesso, voltar aqui é arrancar e sentir arder um pedaço de mim que ainda está em carne viva, mas que eu consigo disfarçar bem. Eu sempre achei que soubesse que saudade dói. E sabe... eu subestimei essa mulher. Que pena que não posso me desculpar, tomar um analgésico e fazer todo o resto desaparecer. 
Coisas aconteceram. Coisas deixaram aquele meu músculo preferido em frangalhos. Coisas não param de rebobinar na minha cabeça. Cenas do nosso amor interrompido. Não por vontade minha. Como poderia? Quem dera tudo se resumisse apenas a coisas, e não a pessoas. É mais fácil sofrer por bobagens.
Tempos atrás, muito antes de você, perdi meu moletom preferido. Um vermelho, quase duas vezes maior que eu, com um coração amarelo estampado bem no meio. Achei que fosse o fim da minha vida abrir a gaveta e não saber onde coloquei. Passei semanas remoendo isso dentro de casa. E como é fácil sofrer por beste…