Pular para o conteúdo principal

Dica de leitura: Dez quase amores


Imagine contar para uma amiga, em detalhes bem sórdidos, a história que você viveu com dez homens diferentes. Isso mesmo, dez! O livro é da gaúcha Cláudia Tajes, mas os Dez (Quase) Amores são de Maria Ana, personagem da história em questão. O livro foi publicado em 2000, ou seja, eu tinha oito anos. Imagine o ineditismo desta resenha. (Tô nem aí).

A cada capítulo, um novo quase amor improvável aparece para provar para Maria Ana, e pra você, que sim: Um dia você vai pular aquela lista de exigências que você tem para ficar com um cara. Na lista de Maria Ana essas exigências têm nome: Vanderley ou Dejair jamais podem estar no RG do cidadão, e usar chinelos de dedo ou ser casado nem pensar. De personal trainer à papai noel (sim, existe um romance com o bom velhinho), Maria Ana coleciona pelo menos dez amores - ou quase isso.

A desgraça dela é a nossa risada, e assim seguem as 127 páginas em pocket de bom humor que só Tajes tem. Dez (Quase) Amores é um livro para chorar de rir. "Bem-vinda ao clube das mulheres que só estão esperando uma boa oportunidade para mandar suas teorias às favas e passar a viver a vida como ela se oferece", disse Martha Medeiros (sim, a maravilhosa!) na sinopse da contracapa, quando me convenceu a comprar o título. 

É uma narrativa divertida e deliciosa de ler. E minha amiga, se você estiver na deprê, confie: não há remédio melhor pra te curar dessa solidão gótica! Acho que comprei o livro por R$10 lágrimas na época. E foram os reais mais bem pagos da história do meu porta-moedas. Ainda mais hoje, que R$10 dá o quê? Um quilo e meio do pãozinho?

Coragem, que é sexta-feira, gente. Beijo pra todo mundo!
07/31


Encontre o blog ♥

Comentários

  1. Cheirinho de livro antigo... ATCHIMMMMMM!!! rs
    Brincadeirinha, adoroooooo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camyli, bicha má! Hahahaha ♥ Eu sei que foi divertida :)

      Excluir
  2. EU QUEROOOOOOOO. EU PRECISOOOOOOO. EU TENHO QUE LER! hahahahah Adorei o fato que, você falou dela lá no comentário do meu post sobre chick-lit, e eu venho aqui e a resenha que leio é de quem? De quem? Delaaaa! hahahahaha Cara, super curti essa resenha. Pronto, vou ler.

    Obrigada pela dica e nossa, sinto que essa história desse livro vai ser "daquelas".
    Um beijo
    http://sobaluzdalua.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Delaaaaaaaaaaaaaa! Dela mesmo Maya linda! É uma história daquelas mesmo. Aliás, essa autora é maravilhosa! Eu me casaria com ela por tanto bom humor Maya ♥

      Excluir
  3. Eu quero! Onde encontro? :( Vou pesquisar!
    namesmafrequencia.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comprei no Hiper Bompreço da minha cidade. Mas no site da editora, redireciona direto nas livrarias on-line onde tem ele! (Sou lesa, Jéssyka. Esqueci de colocar). Mas tá aqui o site >>>

      http://www.lpm.com.br/site/default.asp?Template=../livros/layout_produto.asp&CategoriaID=673729&ID=647184

      Excluir
  4. Esse livro parece ser ótimo, que além de nos deixar uma lição de vida (amorosa) nos faz rir das histórias vividas. Mesmo que tem 10 anos, uma boa história não tem idade!
    Bjos,

    http://blogsejaforte.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Bianca. As histórias não têm idade :))) E eu só soube que era de 2000, quando tava escrevendo esse post viu? É que pelo que vi, parece que eles reimrpimiram várias vezes ♥

      Excluir
  5. Eu amo tanto esse tipo de livro que nem sei. Ainda mais de nacionais, dou sempre chances e sempre me surpreendo.
    Vou procurar pra comprar, se não encontrar, tô passando aí pra pegar emprestado. haha

    Beijos! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também Aninha ♥ Tenho um monte de livros dela, e quero mais! (Ela é lôca - do jeito que gostamos). Procure mesmo. Aliás, dessa autora, qualquer outro vale à pena. Vem pegar meeeeeeeeeeeeeeeeeeeeemo aqui na Paraíba :DDDDDD Hahahaha (bem pertinho)

      Bom findsss Aninha amor ♥

      Excluir
  6. Geeeeeente que foofo hahaha, quero muito o livroo!! Vou procurar para eu comprar

    Beijoos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito fofo mesmo, Barbs. Qualquer livro dela vale à pena. Vai na fé!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

20 semanas: chegamos na metade

Finalmente chegamos na metade da gestação. E quando penso nisso, vejo um reloginho me lembrando que logo logo seremos três em casa. Que logo logo, fraldas, lencinhos e chupetas vão se tornar acessórios obrigatórios na minha bolsa. Que logo logo, o cantinho que eu havia programado para ser meu escritório vai dar lugar a um lindo quarto de bebê. Que daqui a algum tempo, eu vou tropeçar em brinquedos. Que haverá mais um homem em casa. 
Tudo parece assustador e delicioso ao mesmo tempo. Tenho vontade de chorar e de rir. E em algumas ocasiões, não sei como diferenciar uma coisa de outra.
Esta semana eu passei dos limites nas comilanças. Comecei esticando de um chá de fraldas (de um amiguinho do Joaquim) para um aniversário. Nunca comi tanta bobagem e tomei tanto refrigerante de uma vez na vida. E na volta pra casa, a cada semáforo fechado, minha consciência ficava tão pesada quanto a minha barriga. #envergonhada
Minha mãe começou a fazer cueirinhos, toalhinhas de fralda e paninhos de chup…

O dia em que eu descobri o que houve com a gente

19 de março de 2018, o dia em que eu descobri o que houve com a gente.

Sou uma menina relativamente jovem, 25 anos mais pra lá do que pra cá. Digo relativamente, porque juventude é algo relativo (e não necessariamente tem a ver com a idade, aliás). Mas para o assunto que me permito escrever hoje, idade tem tudo a ver. É biológico para mulheres que pensam em ter filhos olhar sua própria idade de forma diferente. Eu nunca planejei filhos, na verdade. Quem me conhece sabe que nunca levei esse assunto assim a sério, como algo que eu precisasse pensar e planejar ou que fosse uma grande vontade. Nunca tive. Até acontecer.
É uma sensação parecida com estar apaixonado. Você não sabe que pode viver algo muito bom (vamos pensar no lado bom, apenas), até se apaixonar. A mesma descoberta eu tive quando descobri que estava grávida em dezembro de 2015. Não foi algo planejado. Aliás, conheço pouca gente que teve a sorte de planejar e ter o destino assim aos seus pés atendendo a esse "cronogra…

CK IN2U for Her: Básico, mas instigante

O CK IN2U for Her é amor à primeira vista, mas se for Eau de Toilett será um amor fugidio, com pouca fixação. Já o Eau de Parfum gruda nas roupas e na memória olfativa, prolongando uma sensação que é o maior diferencial deste perfume oriental floral: deixar a mulher cheirosa toda hora. Embora muita gente sinta cítrico, limão, baunilha, minha primeira impressão era de estar diante de patchouli, mas a nota é particular apenas ao perfume masculino.  De modo geral, ele pode ser classificado como um básico com personalidade e irradia alto astral, daqueles que cheiram a riqueza despojada, aquele tipo que não ostenta porque se define por ser e por si. Versátil, ele apresenta notas de fundo rico de baunilha e âmbar que associadas às notas de cabeça cítricas de toranja rosa efervescente, bergamota e folhas de groselha e as de coração, que são orquídea e cactus, proporcionam uma sensação de frescor que dura todo o dia – dependendo da evolução na pele de cada pessoa. A fragrância foi lançada pela …